A poucos dias do início da greve é inqualificável a posição do governo.

O adiamento da reunião para 12 de outubro, sem que até ao momento tenha enviado qualquer nova proposta de carreira de enfermagem, merece a massiva adesão dos enfermeiros aos dias de greve já agendados.

E porque a nossa revolta tem que ser vista e sentida na rua, é determinante a participação de todos os enfermeiros nas concentrações regionais de 11 de outubro.

A visibilidade que conseguirmos dar nestas concentrações pode ser decisiva para a reunião agora agendada para 12.

Da mesma forma, a manifestação nacional de 19, em frente ao Ministério da Saúde onde teremos a oportunidade de exigir da tutela o cumprimento dos compromissos que assumiram.